Assista ao vídeo completo:

 

Publicado na revista Prz Menopauzalny, pelo grupo de pesquisa do Departamento de Cosmetologia da Universidade da Polônia, a pesquisa intitulada “Cellulite in menopause” faz uma revisão interessante sobre a ligação entre menopausa e celulite.

menopausa

Neste texto irei abordar o ligação entre menopausa e celulite, levando em consideração que o aumento da expectativa de vida é um dos pilares que sustentam a ampliação do mercado da Estética e a dificuldade que grande parte dos profissionais têm em conseguir bons resultados no tratamento de celulite. Vamos lá?

O QUE É MENOPAUSA?

A menopausa ou fim das menstruações espontâneas é um processo fisiológico natural que ocorre na vida da mulher. Com o envelhecimento, ocorre uma alteração na estrutura e função dos folículos ovários. Segundo dados epidemiológicos, a idade média em que as mulheres atingem a menopausa é de 51,4 anos.

QUAL A RELAÇÃO DA MENOPAUSA COM A CELULITE?

Consideram-se desequilíbrios hormonais uma das causas fundamentais da celulite, mais precisamente a concentração demasiadamente elevada de estrogênios em comparação com a progesterona, que é hiperestrogenismo relativo. O ponto-chave desta associação positiva é o fato do estrogênio ser um dos hormônios responsáveis por organizar o tecido adiposo e dérmico. Nas mulheres, estudos demonstram que os estrogênios dificultam o processo de lipólise e elevam a lipogênese. Eles influenciam o aumento da quantidade de glicosaminoglicanas (GAG), que contribuem para a diminuição da microcirculação. Isto é, ocorre a acumulação de líquido no espaço intercelular, criando inchaço, que provoca perturbações na microcirculação.

A progesterona também está envolvida neste processo, pois tem um efeito relaxante sobre as fibras de músculos lisos e pode levar a uma estase venosa, provocando alterações morfológicas e funcionais. Distúrbios na microcirculação podem causar um aumento local da pressão, apoiar o aumento da permeabilidade das veias que está fornecendo o fluxo de sangue lento e aumentar a viscosidade, criando a armadilha leucocitário.

Resumindo: a alteração nos gradientes de concentração hormonal é responsável pelo aumento da lipogênese e permeabilidade vascular, diminuindo o tônus vascular e a lipólise, que levam também à insuficiência e à microcirculação.

TODOS SÃO FATORES IMPORTANTES NA PREDISPOSIÇÃO DO DESENVOLVIMENTO DA CELULITE.

OUTROS FATORES QUE INFLUENCIAM NO APARECIMENTO DA CELULITE:

Além das alterações hormonais, outros fatores facilitam o desenvolvimento das indesejadas celulites:

1) Maus hábitos alimentares

– O aumento da oferta de carboidratos e gorduras suporta hiperinsulinemia que, entre outros, intensifica o processo de lipogênese, um dos fatores decisivos etiológicos.

– Consumo exagerado de conservantes e sal nos alimentos leva à retenção de líquidos, o que resulta em inchaços.

2) Baixa atividade física e um estilo de vida sedentário

– Ambos perturbam o funcionamento correto da microcirculação e apoiam o acúmulo de tecido adiposo.

3) Cigarro

– Causa constrição dos vasos sanguíneos que suportam a hipótese hipóxia tecidual, além do estresse oxidativo.

4) Roupas apertadas*

– Roupas muito justas podem perturbar de forma significativa o fluxo venoso.

* Importante: as pessoas podem e devem se vestir do jeito que preferirem e desejarem. Este ponto é apenas levantado para a questão clínica do aparecimento da celulite.

CONCLUSÃO

Portanto, os profissionais da área devem atentar para questões hormonais, alimentação, atividades físicas, tabagismo e até para as roupas, ao realizar tratamentos de celulite durante a menopausa (e não somente na menopausa).

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here