Nutricosmético é um recurso que vem sendo amplamente utilizado pelos profissionais que trabalham com estética e buscam o conceito de beleza de “dentro para fora”. Recomenda-se a administração oral de princípios ativos, formulados e comercializados com o intuito de promover a saúde e estética dos pacientes.

Dentre as inúmeras afecções que podem ser tratadas com nutricosméticos destaca-se a acne, uma dermatose bastante comum que afeta cerca de 80% da população mundial em algum estágio da vida. Ao invés de ser uma condição limitada à adolescência, em muitos pacientes a acne vulgar pode adquirir todas as características de um distúrbio crônico. Segundo definição da Organização Mundial da Saúde, esta se configura como uma dermatose com curso prolongado e padrão de recorrência ou recaída, podendo manifestar-se através de surtos agudos ou início lento, tendo ainda, um impacto psicológico e social na qualidade de vida do indivíduo.

A acne é definida como uma afecção crônica do folículo pilossebáceo, cuja patogênese é complexa e envolve vários fatores no seu desenvolvimento. Acredita-se que quatro processos distintos desempenham papéis críticos na formação de lesões de acne:

  • Aumento da produção de sebo;
  • Alteração nos processos de queratinização, levando à formação do comedão;
  • Colonização do folículo pilossebáceo por Propionibacterium acnes;
  • Mediação dos processos inflamatórios, permeando as unidades pilossebáceas.

Dentro deste processo fisiopatológico, elenco dois ativos que podem ser associados a uma boa limpeza de pele, e fototerapia para realmente ampliar os seus resultados no tratamento da pele acneica.

ZINCO –  é um mineral que desenvolve inúmeras funções no organismo, explicadas, em parte, pelo papel catalítico e/ou estrutural em mais de 200 enzimas e pela sua real atividade na estabilização de domínios de proteínas que interagem com DNA ou de proteínas com papel estrutural ou de sinalização. Pesquisas anteriores demonstraram que dietas com baixos teores de zinco pioram ou ativam a acne, especialmente com reações pustulosas. Recentemente, no entanto, investigadores avaliaram o efeito da suplementação de ativos orais, incluindo zinco no manejo da acne vulgar inflamatória, e um número significativo de pacientes demonstrou melhora em relação aos seus regimes de tratamento anteriores, após 4 a 8 semanas de tratamento. A principal hipótese é que o zinco atua positivamente no tratamento da acne, a partir dos seguintes efeitos: bacteriostático, antioxidante, promovendo o decréscimo da produção sebácea e reduzindo o acúmulo de células inflamatórias.

VITAMINA C – ácido ascórbico é uma vitamina hidrossolúvel e antioxidante que reage diretamente com o oxigênio simples, o radical hidroxila e o radical superóxido, além de regenerar a vitamina E. É necessário encontrar maiores evidências científicas para consolidar os efeitos positivos da vitamina C no manejo da pele acneica. Entretanto, se partirmos do pressuposto de que a inflamação e o estresse oxidativo estão diretamente relacionados a tal patogênese, e de que a vitamina C tem grande ação anti-inflamatória e antioxidante, pode justificar-se tal conduta clínica.

SUGESTÃO DE FÓRMULA

*Tabela de sugestões de fórmulas do livro Raciocínio Clínico aplicado à Estética Facial.

A fonte utilizada para produção deste post é o Livro: Raciocínio Clínico aplicado à Estética Facial:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here